top of page

#Eu e DaVinci

Sou daquelas pessoas que vivem em dois hemisférios. Aquele grupo de afortunados que nasceram ambidestros e representam somente 1% da população mundial. Digo afortunados porque, a princípio, nosso cérebro funciona a partir do domínio simétrico, o que nos proporciona uma série de vantagens.


Conseguimos, por exemplo, ter habilidade motora com as duas mãos ou pés, o que, se eu fosse uma jogadora de futebol seria uma grande vantagem em campo. Como não sou, consigo, por exemplo, fazer tricô caminhando com a linha nas agulhas tanto do lado direito para o esquerdo como ao contrário. Considerando que pouco se faz tricô hoje em dia, não sei se posso colocar essa habilidade na balança das vantagens.


Uma outra peculiaridade é poder escrever tanto com a mão esquerda como com a direita. Aí posso dizer que, quando criança, isso deu oportunidade de me exibir bastante frente aos colegas. Infelizmente, hoje em dia pouco se escreve à mão portanto essa gracinha perdeu todo o sentido.


Só me restaram, portanto, as desvantagens de pertencer a esse grupo seleto. O fato de trabalhar igualmente com os dois lados do cérebro implica, já de início, em passar por algumas situações constrangedoras, para não dizer perigosas. Não há possibilidade de distinguir lado esquerdo e lado direito sem parar para pensar. Imaginem, portanto, o que isso representa quando se está dirigindo e ouve um comando imediato: Vire à direita! Dois minutos pensando para qual lado virar. Irritação total do passageiro ao lado, cinco quarteirões para poder fazer o retorno, sem falar nas outras consequências.


Fazendo um pouco de jogo do contente, tem algumas vantagens práticas, porém, em ter os dois lados ativos: podemos tranquilamente trocar de mão para pentear o cabelo, fechar um botão, usar os talheres e assim por diante, se a mão que normalmente utilizamos para essas atividades estiver imobilizada.


Já no que diz respeito ao cérebro, os estudiosos da neurociência dizem que os ambidestros têm uma comunicação maior entre os lados direito e esquerdo e que não existe um dominante. Por esse motivo, são mais sinestésicos, ou seja, misturam mais os sentidos, na percepção do mundo. Aí me vejo totalmente representada, sou mestre numa confusão entre a razão e a emoção!


Bem...não sei dizer se é bom ou ruim ser ambidestro, mas me senti muito bem quando soube quem eram meus colegas: DaVinci, Benjamin Franklin, Pablo Picasso e Paul McCartney.

51 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Fingi-dor

Publicações
bottom of page